PandemiaSaúdeUltimas horas

Zema afasta Carlos Eduardo Amaral do cargo de secretário de Estado de Saúde

Permanência tornou-se insustentável em meio à polêmica envolvendo vacinação contra covid-19 de servidores da pasta — incluindo ele — que não estariam entre as prioridades

Carlos Eduardo não suportou a pressão

O médico Carlos Eduardo Amaral não é mais secretário de Saúde de Minas Gerais. O afastamento foi confirmada na noite desta quinta-feira (11) pelo governador Romeu Zema (Novo). A situação de Carlos teria se tornado insustentável após a confirmação de que centenas de servidores administrativos da pasta que estariam fora das prioridades definidas no Plano Nacional de Imunização, incluindo ele, foram vacinados contra covid-19. 

A situação causou revolta na opinião pública e também entre deputados estaduais. O presidente da Assembleia Legislativa de Minas Gerias (ALMG), Agostinho Patrus (PV), classificou o episódio como ‘trem da alegria’, ‘escândalo nacional’ e cogitou, inclusive, a abertura de uma CPI, o que respingaria no governo Zema. 

“Vamos investigar cada um desses 500 nomes, qual o risco que corriam. É uma casta que se acha privilegiada e toma vacina em local escondido. Não vamos nos contentar com essa conversinha de sigilo”, disse Agostinho durante audiência da qual participou Carlos Eduardo, nessa quarta-feira (10).

“Não concordo com nenhum movimento contrário à vacinação. Quis ser vacinado para não parecer que sou contra a vacina”, alegou o agora ex-secretário.

Especialista em neurocirurgia e neurorradiologia intervencionista, Carlos Eduardo Amaral Pereira da Silva assumiu a pasta em fevereiro de 2019, no vaga do também médico Wagner Eduardo Ferreira, que pediu licença do cargo para tratar de assuntos particulares. 

Pior momento 

A mudança forçada no comando da pasta ocorre no momento mais delicado da pandemia no Brasil e em Minas Gerais. Nessa quarta-feira (10), o estado confirmou 10.409 novos casos de covid-19 em 24 horas, recorde desde o começo da pandemia. São 938.811 infectados e 19.824 mortes, das quais 219 registradas entre terça (9) e quarta (10).  

Após mais de um de pandemia, a Secretaria de Saúde, a taxa de ocupação de leitos de UTI exclusivos para doentes com covid-19. São 2.428 vagas, das quais 78,3% estavam ocupadas nessa quarta-feira (10).

Enquanto isso, a vacinação no estado, assim como em todo país, segue lenta. Conforme dados reunidos pelo consórcio de veículos de imprensa Minas Gerias vacinou 3,43% da população. 

Por Rômulo Ávila 

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
×

Powered by WhatsApp Chat

× Fale conosco?