IgrejasMundoUltimas horasVideos

Video: Judeus fazem reconstituição do serviço do Templo fora de Jerusalém

Celebrações tradicionais bíblicas voltam a acontecer em Israel.

Na terça-feira (18), o serviço do Templo de Shavuot foi reconstituído em Mitzpeh Yericho, um dia após a celebração do Shavuot.

Shavuot é um dos três festivais de peregrinação que foi ordenado biblicamente aos judeus na época do templo, marcando então um feriado anual judaico.

Eles contam sete semanas completas, cumprindo o mandamento da Torá e depois celebram com pão:

“Você deve contar até o dia após a sétima semana – cinquenta dias; então você trará uma oferta de novo grão para Hashem.” (Levítico 23:16)

Um dos organizadores afirmou que o serviço Shavuot é a cura para o início da guerra contra Amalek que está irrompendo agora em Israel.

Na noite de 3 de abril, após a Páscoa, foi a primeira contagem para o período de sete semanas, quando chega o feriado de Shavuot, dois pães feitos de cevada são trazidos ao Templo como oferenda.

No final do inverno durante a colheita de grãos também acontece um festival agrícola Shavuot, ofertando dois pães ao Templo feito com o trigo mais seleto, moído e peneirado doze vezes antes de ser assado.

Restaurando as tradições dadas por Deus

A reconstituição também inclui a cerimónia dos bikurim, ou seja, a entrega dos primeiros frutos, assim como nos dias do Primeiro Templo os primeiros frutos da colheita anual eram trazidos.

Na terça-feira (18), o serviço do Templo de Shavuot foi reconstituído em Mitzpeh Yericho, um dia após a celebração do Shavuot.

Shavuot é um dos três festivais de peregrinação que foi ordenado biblicamente aos judeus na época do templo, marcando então um feriado anual judaico.

Eles contam sete semanas completas, cumprindo o mandamento da Torá e depois celebram com pão:

“Você deve contar até o dia após a sétima semana – cinquenta dias; então você trará uma oferta de novo grão para Hashem.” (Levítico 23:16)

Um dos organizadores afirmou que o serviço Shavuot é a cura para o início da guerra contra Amalek que está irrompendo agora em Israel.

Na noite de 3 de abril, após a Páscoa, foi a primeira contagem para o período de sete semanas, quando chega o feriado de Shavuot, dois pães feitos de cevada são trazidos ao Templo como oferenda.

No final do inverno durante a colheita de grãos também acontece um festival agrícola Shavuot, ofertando dois pães ao Templo feito com o trigo mais seleto, moído e peneirado doze vezes antes de ser assado.

Restaurando as tradições dadas por Deus

“Primeiramente, tomarás o fruto da terra, que trouxeres da tua terra que Hashem, teu Deus, te dá; e tu o porás em uma cesta e irás até o lugar que D’us, teu Deus, escolher para fazer com que Seu nome habite ali.”(Deuteronômio 26:2)

O Rabino Hillel Weiss, ex-porta-voz do Sinédrio, afirmou que a restauração dos serviços são importantes na luta contra os palestinos, e que eles seriam os amalequitas atuais, segundo o Israel 365 News.

“Dessa forma, os palestinos são como Amalek. Eles não são daqui. Shavuot e Bikurim são importantes apenas para o verdadeiro dono da terra; quem plantou as árvores plantou os grãos e cuidou dos campos”, disse ele.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
× Fale conosco?