CidadesPoliciaTeófilo Otoniteofilo otoniUltimas horas

Polícia Civil conclui inquérito sobre a morte da bebê jogada da janela em Teófilo Otoni

A delegada de homicídios, Hérika Ribeiro Sena, conclui o inquérito que investigou a morte da bebê, Isabel de Aguilar Loesch, de dois meses, ocorrida em 28 de maio último, em Teófilo Otoni.

Ela foi atirada de cima de uma laje pelo próprio pai, de 26 anos, que está preso.

Nesta terça-feira (7) durante entrevista coletiva, a delegada informou que foram dez dias de investigação até a conclusão do inquérito.

“Nós concluímos pelo indiciamento do autor, no crime de feminicídio, juntamente com mais duas qualificadoras, meio cruel e recurso que impossibilitou a defesa da vítima. Ele está respondendo diante do indiciamento da Polícia Civil o crime de homicídio com três qualificadoras,” explicou.

Segundo a delegada, considerando a medida protetiva, enviada ao juiz após a representação da mãe da criança, ele também foi indiciado nos crimes de injúria e ameaça contra a mulher.

Ainda de acordo com Hérika , com base nas investigações, a polícia acredita que ele tinha intenção de matar a menina. “Acreditamos que existiu esse dolo antes do fato, pois no dia do crime, ele teve acesso não autorizado a residência, onde ficou por um tempo, ao ser questionado pela mãe da criança ele aproveitou um momento de distração da mãe, subiu na laje e cometeu o crime”, disse.

Foram várias diligências, provas técnicas e depoimentos durante o inquérito. A conclusão dos investigadores, foi de que a criança foi jogada de 9m de altura, e não 5m, como foi dito inicialmente.

A delegada informou que o homem se manteve no direito de permanecer calado e não prestou depoimento. Falou ainda que ele não tinha passagens pela polícia. Ela explicou também que, cada qualificadora tem uma pena máxima de 30 anos. O crime, deve ir a júri popular.

O homem está preso em Teófilo Otoni onde vai aguardar pelo julgamento.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
× Fale conosco?