BrasilPolíticaUltimas horas

Músicos não ofenderam Lula ao recebê-lo em instituição francesa

Do Projeto Comprova 13/12/2021 09h18Atualizada em 13/12/2021 09h18 É falso que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) tenha sido recebido por músicos entoando “filha da puta” em sua chegada à Sciences Po, instituição pública de ensino superior em Paris, em 16 de novembro, durante sua última viagem à capital francesa. Um vídeo que viralizou no Facebook teve o áudio adulterado, com o xingamento incluído. A gravação original, sem a montagem, foi postada pelo perfil oficial de Lula naquele mesmo dia, e é possível perceber que o grupo de percussão não canta a expressão “filha da puta”

“É fake news. Nós estamos dizendo ‘C’est la Batuka’, que significa ‘É a Batuka'”, disse o grupo musical à reportagem. A assessoria do ex-presidente também classificou o conteúdo como mentira. Em nota, disse que “grupos políticos que usam de fake news contra Lula produziram uma mentira com uma manifestação de carinho de jovens brasileiros e franceses em Paris”. Também contatado, o autor do vídeo, Luan Amâncio, afirmou que poderia estar errado e, após receber a explicação sobre o áudio verdadeiro, apagou o vídeo de seus canais. O Comprova classificou o conteúdo como falso porque ele sofreu edições para mudar o seu significado original e foi divulgado de modo deliberado para espalhar uma mentira.

Como verificamos? O primeiro passo foi pesquisar se Lula havia postado o vídeo em suas redes sociais. Fazendo uma busca filtrando pelo perfil do ex-presidente e pelo nome “Sciences Po” no TweetDeck, foi possível encontrar a postagem. Isso foi o primeiro indício de que o vídeo verificado aqui continha desinformação – se realmente tivesse sido ofendido, Lula dificilmente compartilharia a gravação. Os comentários de seguidores ajudaram na apuração. Um deles escreve que não consegue entender o que os músicos entoam, e outro responde: “De la Batuka, é o nome do grupo”. Pesquisando no Google pelo nome “La Batuka”, os resultados trazem um tuíte do perfil oficial da Science Po sobre a recepção de Lula pelos estudantes que formam o grupo Batuka

Buscando por Batuka nas redes sociais, foi possível chegar ao Instagram dos músicos. Então, a reportagem enviou uma mensagem privada perguntando o que eles cantaram na recepção ao petista

A assessoria de Lula também foi procurada e, em mensagem de texto, negou que o ex-presidente tenha sido hostilizado.

Em seguida, a reportagem contatou, via mensagem privada no Facebook e também via Instagram, Luan Amâncio, autor do vídeo. O grupo Movimento do Povo Brasileiro no Facebook, que compartilhou a gravação falsa, foi procurado por e-mail, mas não respondeu até a publicação deste texto.

Por último, foram feitas buscas em veículos da mídia tradicional para esclarecer como foi a visita de Lula aos países europeus.

Verificação O vídeo Em novembro, Lula fez um tour por países europeus. No dia 16 daquele mês, quando chegou a Paris, foi à escola de ciências políticas Sciences Po, onde recebeu o título de honoris causa há dez anos, para proferir a conferência “Qual lugar para o Brasil no mundo de amanhã”

O vídeo verificado aqui mostra a recepção feita por estudantes da instituição que participam do grupo de percussão Batuka. Em um saguão, os jovens tocam pandeiros, tambores e outros instrumentos musicais. A maioria se apresenta de máscara de proteção contra a covid-19. No centro, uma mulher organiza as batucadas com um apito.

Lula, que passava por uma área comum do prédio da instituição de ensino, foi conduzido por uma pessoa da comitiva para o local em que os jovens se apresentavam, informado de que se tratava de um grupo de batucada da cidade francesa.

O ex-presidente permaneceu assistindo à apresentação por alguns instantes, e depois se retirou, sem demonstrar nenhuma contrariedade como poderia ser esperado em caso de xingamentos. O petista estava acompanhado por dezenas de pessoas, entre as quais a socióloga Rosângela da Silva, a Janja, sua namorada.

No vídeo com o áudio distorcido, legendas foram criadas para justificar uma suposta recepção mal-sucedida, primeiramente chamando a atenção para o grupo de batucada, de modo que, no momento em que os percussionistas gritam “C’est la Batuka”, parecesse “filha da puta”, no ritmo da música. O xingamento foi reproduzido na legenda, seguido de “kkkkk”, para caracterizar uma gargalhada. Na sequência, o autor escreveu que Lula retirou-se, decepcionado.

Lula na Europa A passagem de Lula pela Sciences Po foi apenas uma etapa de sua visita a Paris, na França, e a outros países europeus. Em todas as cidades por onde circulou cumprindo agendas políticas, o ex-presidente foi bem recebido.

A primeira parada foi na Alemanha, onde o petista desembarcou em 11 de novembro, quando esteve com lideranças sindicais. No dia seguinte, encontrou-se com o social-democrata Olaf Sholz que, na ocasião, ainda não havia sido conduzido como o chanceler a suceder Angela Merkel.

Em Bruxelas, capital da Bélgica, Lula chegou em 14 de novembro e o primeiro encontro, com direito a foto, foi com apoiadores. No dia 15, um dos pontos altos do tour pela Europa, foi o discurso no Parlamento Europeu. O ex-presidente foi aplaudido de pé pelos eurodeputados após, entre outras declarações, dizer que o Brasil tem jeito e que é possível construir uma economia justa.

Da Bélgica, o petista partiu para a França onde, no dia 16, se encontrou com a prefeita de Paris, a socialista Anne Hidalgo. Foi nessa mesma data que o ex-presidente esteve na Sciences Po.

No outro dia, Lula foi recebido pelo presidente Emmanuel Macron em um encontro que durou mais de uma hora no Palácio do Eliseu, em Paris, e cuja pauta foi a geopolítica. Desde a eleição do francês, em 2017, ele não recebeu nenhum presidente brasileiro – nem Jair Bolsonaro (PL), com quem já se desentendeu, nem Michel Temer (MDB)

No mesmo dia, Lula foi agraciado com o prêmio de “coragem política” concedido pela revista Política Internacional, honra conferida apenas outras três vezes em 40 anos da publicação a dois ex-presidentes, Anuar Sadat (Egito) e Frederik de Klerk (África do Sul), e ao papa João Paulo II

Em 19 de novembro, já em Madri, o petista se reuniu com o primeiro-ministro da Espanha, Pedro Sánchez

Foi na capital espanhola que Lula encerrou sua turnê pela Europa. Análise de dados nas redes sociais aponta que a viagem do ex-presidente teve aprovação de 80% da opinião pública não militante.

Pesquisas de intenção de voto Autor do vídeo com conteúdo falso, Luan Amâncio inicia a gravação dizendo que “parece que os institutos de pesquisa, mais uma vez, estão errados”, referindo-se ao fato de o presidente Bolsonaro aparecer atrás de Lula nas últimas pesquisas eleitorais.

Levantamento da Genial/Quaest divulgado em 10 de novembro mostra o petista com 48% das intenções de voto e, Bolsonaro, com 21%. Em setembro, Lula tinha 44% dos votos contra 26% de Bolsonaro, conforme revelou o Datafolha.

O autor do vídeo

Em seu canal no YouTube, onde chama quem se considera “patriota e conservador” para se inscrever, Luan Amâncio tem 289 mil seguidores. No Facebook, rede em que compartilha os mesmos vídeos, são 211,4 mil seguidores. Nesta rede, ele se apresenta como “jornalista” e como “advogado, criador de conteúdo de Youtube e residente de Curitiba”

Os vídeos são, em sua maioria, de apoio a Bolsonaro e contrários a Lula. Um deles foi alvo de uma checagem do Estadão Verifica, em junho deste ano. À época, Amâncio retirou de contexto um trecho de um documentário dizendo que era uma “reunião vazada” da cúpula do PT.

O Comprova entrou em contato com ele via Instagram, questionando-o sobre o vídeo adulterado. “Pode ser, então, que esteja errado mesmo”, disse ele, que apagou a publicação após a troca de mensagens com o Comprova.

Por que investigamos?

Em sua quarta fase, o Projeto Comprova investiga conteúdos suspeitos sobre pandemia, governo federal e eleições. A publicação aqui verificada foi visualizada mais de 125 mil vezes no Facebook até o dia 10 de dezembro.

Ao divulgar um vídeo com áudio adulterado, o conteúdo cria a falsa impressão de que Lula teria sido mal recebido na instituição que o convidou, quando, na verdade, foi o contrário. Qualquer cidadão tem o direito de apoiar o político que quiser, mas é perigoso para a democracia quando a opinião é formada com base em conteúdos falsos, como este verificado aqui.

O conteúdo também se torna perigoso quando critica os institutos de pesquisa, importante ferramenta para a sociedade em períodos pré-eleitorais.

O mesmo vídeo foi verificado pela Lupa e AFP Checamos. O Comprova já concluiu ser falso que o Washington Post tenha publicado manchete com elogios a Bolsonaro, que jogadores de times europeus tenham dedicado gols a ele e que torcedores do Atlético Mineiro tenham xingado Lula em partida recente.

Falso, para o Comprova, é o conteúdo inventado ou que tenha sofrido edições para mudar o seu significado original e divulgado de modo deliberado para espalhar uma mentira.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo
× Fale conosco?