CidadesPandemiaSaúdeUltimas horasVideos

Minas Gerais entra na ‘onda roxa’ e permite apenas serviços essenciais em todos os 853 municípios a partir desta quarta

Segundo o presidente da Associação Mineira de Municípios, Julvan Lacerda, medida será impositiva e válida por 15 dias

O governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), confirmou, na noite desta segunda-feira (15/3), que todas as regiões do estado serão inseridas na onda roxa do programa Minas Consciente a partir da próxima quarta-feira (17). A princípio, a medida será válida por 15 dias.

A decisão foi comunicada em uma reunião realizada com prefeitos e representantes de consórcios municipais de saúde. Minas Gerais vive, atualmente, o momento mais grave da pandemia, com hospitais no limite. Na capital, Belo Horizonte, a ocupação de leitos de terapia intensiva chegou a 93,4% nesta segunda-feira.

Chegamos agora no momento mais difícil, os hospitais estão no limite, ao mesmo tempo em que muitas pessoas não estão respeitando as medidas de isolamento. O resultado é que todas as regiões do estado enfrentam hoje dificuldades para oferecer atendimento médico. Por isso, ouvindo os especialistas em saúde e nosso comitê de enfrentamento da Covid, anunciamos medidas mais duras, pensando na proteção de todos os mineiros e para garantir atendimento adequado”, afirmou Zema.

Segundo ele, a adesão dos municípios à onda roxa será obrigatória. Apenas serviços essenciais serão autorizados a funcionar e somente pessoas que trabalham nessas atividades poderão circular pelas ruas.

“É uma medida dura, mas extremamente necessária neste momento para evitar um cenário pior do que esse que já estamos vivendo. Faço um apelo para todos os mineiros: precisamos manter as medidas de proteção e distanciamento social. Não vamos deixar que o cansaço nos vença. Por favor, respeite e colabore para que possamos vencer esta guerra”, disse o governador.

A medida já tinha sido adiantada pelo presidente da Associação Mineira de Municípios (AMM), Julvan Lacerda, que participou da reunião com o governador.

A prefeita de Lavras, no Sul de Minas, Jussara Menicucci (PSB), compartilhou um vídeo da reunião nas redes sociais em que Zema fala sobre a determinação.

“O nosso sistema de saúde como um todo hoje no estado está em colapso. Pode ser que, excepcionalmente, em algum lugar haja alguma vaga, mas isso vai ser cada vez mais exceção. E, devido a toda essa criticidade do quadro, nós estaremos decretando a partir desta quarta-feira, depois de amanhã, dia 17 de março, onda roxa em todo o estado, por uma questão humanitária”, afirmou o governador na gravação.

Veja as medidas impostas na onda roxa:

  • Funcionamento apenas do serviço essencial
  • Suspensão de cirurgias eletivas
  • Restrição de circulação de pessoas (só poderão sair de casa para atividades essenciais)
  • Toque de recolher das 20h às 5h e aos finais de semana
  • Proibição de pessoas sem máscara em qualquer espaço público ou de uso coletivo, ainda que privado
  • Proibição de circulação de pessoas com sintomas de gripe, a menos que estejam indo para consulta médica
  • Proibição de eventos públicos ou privados
  • Proibição de reuniões presenciais, inclusive entre parentes que não morem na mesma casa
  • Implantação de barreiras sanitárias de vigilância
  • Fechamento de bares e restaurantes (funcionamento apenas por delivery)

A reportagem questionou o governo de Minas sobre a imposição da onda roxa e, até a última atualização desta matéria, não havia recebido retorno.

Nesta terça-feira (15), o governador Romeu Zema e o novo secretário estadual de saúde, Fábio Baccheretti, vão conceder coletiva de imprensa às 7h30.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
× Fale conosco?