EsporteUltimas horas

Em 2º tempo terrível, Atlético leva virada do Bahia e falha na tentativa de voltar à liderança

Galo cometeu vários erros na etapa final e foi castigado nos contra-ataques

O Atlético falhou na tentativa de recuperar a liderança do Campeonato Brasileiro. Após fazer um bom primeiro tempo, quando foi para o intervalo vencendo por 1 a 0, o Galo teve uma atuação irreconhecível na etapa final, levou a virada do Bahia e perdeu por 3 a 1, no estádio de Pituaçu, pela 17ª rodada.

Savarino abriu o placar para o Galo aos 20 minutos do primeiro tempo, em que o Galo dominou amplamente o adversário, mas não conseguiu fazer mais gols. Porém, após a atuação desastrosa nos 45 minutos finais, o Bahia empatou com Daniel e virou com dois gols de Gilberto, sendo o primeiro em um erro de Guga, que recuou errado para Everson, e o segundo em contra-ataque.

Ao entrar em campo obrigado a vencer para retomar a liderança do Brasileirão, o Galo falhou na missão e caiu para o terceiro lugar, com 31 pontos, três atrás de Internacional e Flamengo. Já o Bahia, com a vitória, subiu para o 12º lugar, com 19 pontos.

Após conquistar apenas quatro pontos nos últimos quatro jogos, o Galo volta a campo no sábado, às 21h, para tentar a reabilitação diante do Sport, no Mineirão. 

Galo faz bom primeiro tempo e vira na frente

Com o time completo em campo, após os retornos dos selecionáveis Junior Alonso, Alan Franco e Savarino, o Atlético fez valer a superioridade sobre o Bahia desde o primeiro minuto de jogo.

No duelo que mais parecia ataque contra defesa, o Galo amassava o time da casa. Com dificuldades para penetrar na zaga baiana, o Atlético arriscava chutes de longe. Primeiro com Nathan, mas a bola subiu demais. Depois com Keno, que recebeu pela esquerda, puxou para o meio e bateu cruzado levando muito perigo.

O gol do Galo estava amadurecendo e saiu aos 20 minutos. Após bola cruzada na área, Réver atuou como um pivô, ajeitou para Savarino que emendou no canto: 1 a 0.

Só atrás se defendendo, o Bahia tentou sair para o jogo, após sofrer o gol, mas não conseguiu. Com marcação forte, o Atlético recuperava a bola rapidamente e buscava o ataque tendo mais espaço. Diante disso, o “atrevimento” do time da casa para avançar esmoreceu em poucos minutos e o estilo da partida voltou para o ataque contra defesa.

Utilizando na maior parte das vezes a individualidade de Keno, o Galo quase sempre atacava pelo lado esquerdo. Porém, o time alvinegro não encontrava muitos espaços na defesa baiana e não levou mais muito perigo, apenas da ampla superioridade em campo: na etapa inicial, foram 11 finalizações do Atlético contra apenas duas do Bahia, ambas sem direção.

Atlético volta irreconhecível, erra muito e leva a virada

Com incômodo na coxa, Réver não voltou para a etapa final e foi substituído por Igor Rabello.

O Atlético seguiu na pressão em busca do segundo gol, mas falhava nas finalizações. Keno recebeu cruzamento na área, mas pegou mal na bola e mandou para fora. Na sequência, Savarino apareceu livre na área, mas chutou cruzado sem direção desperdiçando uma ótima oportunidade para ampliar o placar.

Aos poucos, o Galo começou a vacilar no jogo e dar espaços ao Bahia, que chegou com perigo com Gregore, mas a bola passou por cima.

O Galo não repetia o mesmo futebol do primeiro tempo e viu o Bahia chegar ao empate aos 23 minutos. Everson não segurou o chute de Gilberto na cobrança de falta e, no rebote, Gregore ajeitou de cabeça para Daniel, livre de marcação, bater no canto.

A partir do gol sofrido, o Atlético se desorganizou em campo e passou a errar passes fáceis proporcionando contra-ataques ao Bahia, que quase virou com Marco Antônio, mas Everson salvou. 

Mas o Galo não aprendeu com os vacilos já cometidos, errou de novo e foi castigado com a virada. No meio-campo, Guga tentou recuar para Everson, mas a bola foi curta demais. Mais esperto, Gilberto chegou na frente, driblou o goleiro atleticano, limpou Igor Rabello e completou para as redes.

Irreconhecível em campo, o Atlético levou o terceiro em novo contragolpe. Gilberto foi lançado em velocidade, invadiu a área e bateu na saída de Everson.

Bahia 3 x 1 Atlético

Bahia: Douglas Friedrich; Ernando (Nino Paraíba), Lucas Fonseca, Juninho e Juninho Capixaba; Gregore, Elias, Edson (Gilberto), Ramon (Daniel) e Fessin (Alesson); Clayson (Marco Antônio). Técnico: Mano Menezes

Atlético: Everson; Guga, Réver (Igor Rabello), Junior Alonso e Guilherme Arana; Jair, Alan Franco e Nathan (Sávio); Keno, Savarino e Eduardo Sasha (Marrony). Técnico: Jorge Sampaoli

Motivo: 17ª rodada do Campeonato Brasileiro
Data: 19 de outubro de 2020, segunda-feira, às 20h
Local: Estádio de Pituaçu, em Salvador (BA)

Gols: Savarino (20’/1º), Daniel (23’/2º), Gilberto (34’/2º, 43’/2º)

Cartão Amarelo: Edson, Gilberto, Elias, Alesson (Bahia); Junior Alonso (Atlético)

Árbitro: Anderson Daronco (RS)
Auxiliares: Rafael da Silva Alves (RS) e Michael Stanislau (RS)
VAR: Daniel Nobre Bins (RS)

Por Fábio Rocha

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
× Fale conosco?