EsporteUltimas horas

Cruzeiro vence clássico centenário contra Atlético e emenda terceira vitória seguida

Raposa levou a melhor com gol de Airton no segundo tempo

Airton marcou o gol da vitória do Cruzeiro no clássico contra Atlético, no Mineirão

Mesmo sem público, sobrou emoção no clássico centenário entre Cruzeiro e Atlético. Mostrando muita disciplina tática, a equipe celeste derrubou o favoritismo do lado alvinegro e venceu por 1 a 0, neste domingo, no Mineirão, pela nona rodada do Campeonato Mineiro

O clássico teve um pouco de tudo. Polêmicas da arbitragem, com pênalti reclamado pelas duas equipes, gol perdido na cara do gol e duas expulsões: após se desentenderem nos minutos finais, Hulk e Pottker levaram o cartão vermelho.

Após um primeiro tempo ruim, o clássico esquentou na etapa final. Melhor para o Cruzeiro, que emendou a terceira vitória consecutiva e subiu para a vice-liderança, com 17 pontos, quatro atrás do Atlético, que segue na primeira posição.

Sem novidades, o técnico Felipe Conceição repetiu a escalação do time pela primeira vez desde que assumiu o comando do time. Já o Galo promoveu a estreia do volante Tchê Tchê, que pouco fez em campo. Destaque do Atlético desde que estreou, o meia Nacho Fernández retornou ao time, após ser poupado na vitória sobre o Pouso Alegre no meio da semana, mas também foi “amarrado” pelo esquema tático celeste.

Polêmicas da arbitragem

No fim do primeiro tempo, o Atlético reclamou de um pênalti no lance em que Keno recebeu na entrada da área, chutou e a bola explodiu no braço de Matheus Pereira. No entanto, a arbitragem entendeu que a jogada foi normal e não assinalou a falta.

Já no começo da etapa final, foi a vez do Cruzeiro pedir pênalti. Em disputa de bola na área alvinegra com Junior Alonso, Ramon caiu, mas o árbitro mandou o jogo seguir.

45 minutos iniciais ruim

No primeiro tempo, o clássico não teve emoção e foi marcado pelas muitas faltas cometidas pelos dois times. O Cruzeiro iniciou a partida sofrendo mais com os ataques do Atlético, que não conseguia ser criativo para furar a defesa celeste.

Aos poucos, mesmo com menor posse de bola, a Raposa foi equilibrando o duelo e obteve algumas escapadas no setor ofensivo.

Já o Galo se mostrava lento com a bola nos pés e pouco ameaçava a meta defendida por Fábio.

Segundo tempo quente

Na etapa final, o jogo esquentou, mesmo com nenhuma das equipes fazer alteração no intervalo. Aos 7 minutos, Nacho descolou um belo lançamento para Vargas nas costas da defesa do Cruzeiro. O atacante chileno saiu cara a cara com Fábio e finalizou rasteiro tentando acertar o canto, mas parou no goleiro que caiu certo e salvou com a mão direita.

O maior lance de perigo do clássico animou o Galo que aumentou a pressão. Após escanteio, Keno subiu e desviou de cabeça, mas a bola passou raspando a trave.

A pressão era do Atlético, mas quem tirou o zero do placar foi o Cruzeiro. Aos 16 minutos, após rápida troca de passes no ataque entre Matheus Pereira e Sóbis, o camisa 10 tocou de primeira para Airton, que invadiu livre a área do Galo e bateu no canto, sem chances para Everson.

O Cruzeiro quase marcou o segundo aos 22 minutos. Bruno José recebeu cruzamento na área e, após dividida, a bola passou raspando a trave direita de Everson, que ficou parado e só torcendo para ela sair.

Tentando reagir, o Galo quase empatou em um chute de Nacho que passou perto do ângulo de Fábio.

Cuca até tentou mexer no time, colocando em campo Hulk, Marrony, Sasha e Hyoran, mas a equipe não respondeu. Apagado, o Atlético sequer conseguiu sufocar o Cruzeiro nos minutos finais e amargou a derrota no clássico.

Já a Raposa comemorou bastante a vitória sobre o arquirrival, que era considerado o grande favorito a vencer pelo maior investimento no time.

Cruzeiro 1 x 0 Atlético

Cruzeiro: Fábio; Cáceres, Weverton (Eduardo Brock), Ramon e Matheus Pereira; Adriano (Matheus Neris), Matheus Barbosa (Jadson) e Marcinho (Rômulo); Airton, Bruno José (Pottker) e Rafael Sóbis. Técnico: Felipe Conceição

Atlético: Everson; Guga (Nathan), Igor Rabello, Alonso e Arana; Allan (Hyoran), Tchê Tchê e Nacho Fernández; Keno (Marrony), Savarino (Hulk) e Vargas (Sasha). Técnico: Cuca

Motivo: 9ª rodada do Campeonato Mineiro
Data: 11 de abril de 2021, domingo, às 16h
Local: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)

Gol: Airton (16’/2º)

Cartão Amarelo: Adriano, Jadson, Rafael Sóbis (Cruzeiro); Igor Rabello, Sasha, Hulk (Atlético)

Cartão Vermelho: Hulk (Atlético); Pottker (Cruzeiro)

Árbitro: Paulo Cesar Zanovelli da Silva
Auxiliares: Guilherme Dias Camilo / Celso Luiz da Silva

Por Fábio Rocha

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
×

Powered by WhatsApp Chat

× Fale conosco?